quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Uma história dos nossos dias

OS PERIGOS DA INTERNET
 
Um dia, o lobo mau acordou de muito mau humor e cheio de fome. Um lobo gentil teria, sem dúvida, tentado encontrar trabalho para ganhar dinheiro e comprar comida. Mas este lobo não estava para se maçar. Queria fazer algo de mais espectacular na sua vida do que apanhar o metro e ter um emprego decente.
Pensou em apanhar miúdos à saída da escola em troca de bombons; contudo, viu logo que a ideia não funcionaria porque as crianças não são estúpidas e já conhecem a história do "Tenho um cãozinho na minha carrinha, queres vir vê-lo?" e do "Que tal vires a minha casa experimentar a minha superconsola de jogos?" A culpa desta esperteza era dos pais, que os avisavam de toda a espécie de perigos.
O que ele tinha de fazer era passar despercebido, fazer-se invisível. Foi então que um clarão de inteligência iluminou o seu pobre cérebro: a Internet, claro! Graças à Internet, podia atrair todas as crianças que quisesse. Nunca mais teria fome. A Internet permite entrar em contacto com milhares e milhares de porquinhos sem ter de sair de casa. Pensou num nome para o seu sítio da Internet, um nome que atraísse as crianças:
Neste sítio, as crianças podiam jogar 24 horas sobre 24, mudar de mãe, e comer bombons grátis a toda a hora. Também instalou anúncios mentirosos sobre como sair de casa sem que os pais vejam, como duplicar a mesada, etc. Para receber documentação sobre tudo isto, era preciso que as crianças escrevessem o seu nome, a sua morada, o nome da sua escola e o seu horário.
Um dia, um capuchinho vermelho foi à Internet procurar material para um trabalho escolar. Viu o anúncio das bolachas de manteiga e respondeu logo. Até porque ofereciam um cãozinho parecidíssimo com o Milu. Já ia clicar em ENVIAR quando a mãe entrou no quarto.
— Capuchinho! Ainda estás ao computador?
— Estou a escrever o nome da minha escola. Vão oferecer-me bolachas de manteiga e um cãozinho de prenda.
— Deves estar a sonhar, filha. Por que razão um desconhecido havia de dar-te tudo isso? Todos os dias se ouve falar de raptos de crianças por pessoas que lhes fazem muito mal. Nunca deves dar o teu nome ou morada, seja onde for. As pessoas que te querem dar prendas querem obter algo com isso. Algo que te custará muito caro!
Do outro lado da cidade, os três porquinhos também tinham visto este sítio na Internet. O mais novo, que era também o mais preguiçoso e o mais distraído, viu o anúncio "Se queres ter uma casinha em tijolo sem trabalho, clica aqui". Antes de o poder fazer, o mais velho, que estava atento, exclamou:
— Vejam só o que ele inventou desta vez para nos apanhar! Ninguém constrói uma casa sem esforço!
Quando o lobo viu que não tinha mensagens nenhumas, ficou furioso. Com crianças assim, nunca conseguiria nada… Três dias depois, recebeu um telefonema da raposa e contou-lhe o que tinha feito.
— Deste muito nas vistas — comentou a raposa. — Tens de disfarçar melhor. Precisas de abrir um chat, um fórum de discussão. Arranjas um pseudónimo para que ninguém te conheça e está feito. É assim que se apanham galinhas no século XXI. E eu que o diga, que apanhei cinco ou seis assim.
O lobo meteu patas ao trabalho e começou a escrever no teclado: "Boa tarde, o meu nome é Porcino e queria falar com porquinhos, coelhos e ovelhas. Queria saber como lutar contra o lobo mau."
Claro que obteve milhares de respostas. "Tens de fazer muitas perguntas. Como os lobos têm um cérebro minúsculo, ficam logo confusos", dizia um. "É preciso dar-lhes um bom pontapé, que eles desaparecem logo", adiantava outro. "Não gosta de caçadores nem de espingardas, e muito menos de mães que estão sempre atentas", comentava um terceiro.
"Obrigado pelas óptimas ideias" escreveu o lobo. "Gostariam de receber um pacote de bolachas? É só dar-me o vosso endereço." "Nem pensar! Eu nem me chamo capuchinho vermelho; chamo-me raposa azul", foi a primeira resposta. "E que tal tentarmos encontrá-lo nós próprios? Mas nada de dizer aos pais. É um segredo nosso", insistiu o lobo. "A minha mãe diz que não se devem partilhar segredos com desconhecidos. O senhor nem me conhece e já pede a minha morada. Vou denunciá-lo. Ainda um dia destes o vemos atrás das grades", foi a segunda resposta.
O lobo desistiu deste negócio da Internet e decidiu vender o computador e comprar comida.

Sophie Carquain
podestertudooquequiseres.com.
Petites histoires pour devenir grand (2)
Paris, Albin Michel, 2005
(Tradução e adaptação

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Quadras de S. Martinho

As castanhas



               Com o Outono chegam as castanhas assadas.
               Sabias que as castanhas, que actualmente são quase um pitéu, tiveram, noutros tempos, uma enorme importância na dieta dos portugueses?
               No século XVII, eram mesmo um dos produtos básicos da alimentação dos transmontanos, chegando, se necessário, a substituir o pão ou as batatas.

                A castanha é usada na alimentação desde tempos pré-históricos e a respectiva árvore - Castanea sativa - foi introduzida na Europa há cerca de três mil anos. Contudo, no livro de Jorge Lage, "Castanea...", no sub-capítulo, "O castanheiro em Portugal", na página 35, ao citar o mais importante botânico nacional vivo, Prof. Jorge Paiva, refere-se que os estudos polínicos levados a cabo na Serra da Estrela provam o contrário, apontando para uma data bem mais recuada, e hoje é considerada uma árvore autóctone.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Hora do Conto


No dia 18 de Outubro de 2010, a BE do AVERT (representada pelas docentes Agostinha Gomes e Palmira Ferreira) foi à escola E.B.1 de S. Caetano nº1 contar a história Gato Gatão, Poeta de Profissão, de Graça Breia.
Esta iniciativa contemplou a turma do 1º E, alunos da docente Luísa Salvador, que se comportaram muito bem.
Os alunos responderam entusiasticamente às questões colocadas. De entre as várias respostas dadas, destacámos as seguintes:

“Os livros são para ler e contar histórias.”
                        José, nº14

“Os livros são fixes.”
        Rafael, nº18

“Os livros servem para contar histórias antes de dormir”
                        Gonçalo, nº8

“Um poeta é alguém que faz poemas.”
                        Joana, nº12


Os livros são bens preciosos que nos transportam para mundos maravilhosos, onde o sonho se torna realidade.
Um livro é uma janela que se abre…

Obrigada a todos.



Cartaz do MIBE

quarta-feira, 20 de outubro de 2010



Mês Internacional das Bibliotecas Escolares



Para assinalar este mês, a BE distribuiu rebuçados com pensamentos aos alunos, docentes e funcionários do AVERT.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Ficha de Inscrição do Concurso Literário "Um Conto de Natal"

Ficha de Inscrição
Concurso Literário 2010
“Um Conto de Natal”                         BE do AVERT



Dados do Professor/coordenador:

Nome: ____________________________________________________
Morada: ___________________________________________________
Data de Nascimento: ________________
BI: _____________ NIF: _____________
Tel: ______________________________
Email: ____________________________

Escola: _____________________________________________________

Dados do aluno:


Nome Completo
Ano Escolaridade
Nº Telefone/ email









Concurso Literário "Um Conto de Natal"

A BE do AVERT vai promover um Concurso Literário, cujo regulamento a seguir reproduzimos.


Concurso Literário

“Um conto de Natal”

Objectivo
Motivar os alunos para a leitura e para a escrita, incentivando a participação de Escolas e Professores.
Como participar
Escreve um conto sobre a temática natalícia. Os trabalhos deverão ser inéditos e ter entre uma a três páginas (de texto) em formato A4, letra Arial, tamanho 11, espaço 1,5. Os trabalhos poderão conter ilustrações originais.
Concorrentes
Podem participar todos os Alunos do 1º, 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico do distrito do Porto, sob orientação de um Professor/Coordenador. Os trabalhos deverão ser individuais.
Envio dos trabalhos
Os trabalhos poderão ser enviados por correio postal ou electrónico (bedoavert@gmail.com) e devem ser acompanhados da ficha de inscrição, enviada às Escolas e disponível no blogue http://bedoavert.blogspot.com.
Não serão aceites trabalhos com dados incompletos.
Calendário
Data limite de entrega dos trabalhos: serão aceites todos os trabalhos recebidos até 18 de Dezembro de 2010, sendo válido o carimbo dos Correios com essa data.
Divulgação
O resultado do concurso será anunciado no dia 04 de Fevereiro de 2011, no blogue e nos órgãos de comunicação social. Os vencedores serão contactados telefonicamente.
Entrega dos prémios
A cerimónia de entrega dos prémios realizar-se-á em Fevereiro de 2011, no âmbito das comemorações do dia Internacional da Língua Materna.
Júri
O júri será constituído pela Directora do AVERT, pela Coordenadora da BE do AVERT e por um representante da editora Mosaico de Palavras. Os trabalhos serão seleccionados com base na originalidade, criatividade e qualidade literária.

Direitos de Autor
1. Os concorrentes obrigam-se a autorizar a utilização dos trabalhos, sem qualquer compensação, em todas as publicações ou actividades promovidas pela BE do AVERT e pela Mosaico de Palavras que não deixará de identificar o autor (a não ser que este indique por escrito que não quer ser identificado);
2. Os trabalhos não serão devolvidos podendo, no entanto, ser levantados durante os dois meses posteriores à data de divulgação do prémio.
Prémios
As Escolas, Professores/Coordenadores e Alunos vencedores receberão os seguintes prémios:
Publicação dos trabalhos vencedores numa colectânea e livros adequados à faixa etária.
Os Alunos vencedores do 1.º prémio receberão ainda um leitor de DVD portátil.

Todos os Alunos e Professores participantes no Concurso receberão um Certificado de Participação.


Morada de recepção dos trabalhos:

Escola E.B.2, 3 de Rio Tinto, nº1
Concurso Literário “
Um Conto de Natal
Rua Dr Cancelas
4435-212 Rio Tinto

Contactos para mais informações:
Tel: 969035992 (Dra Agostinha Gomes)
Correio electrónico: bedoavert@gmail.com



sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Programação do MIBE


Outubro
Mês Internacional
das Bibliotecas Escolares 

Diversidade, Desafio e Mudança,
Tudo isto na BE”

Programa
2010



Data
Actividades
Dinamizadores
Destinatários
Local
 13 a 22- 10-2010
Escrita em cadeia
BE

Todos os alunos

BE do AVERT

18 a 29- 10-2010
Painel temático: A biblioteca é…

BE

Todos os alunos

BE do AVERT

18-10-2010
Hora do conto: O Gato Gatão, de Graça Breia
BE
(Agostinha Gomes e Palmira Ferreira)

Alunos do 1º ciclo (3º ano)

EB1 de S. Caetano 1
22-10-2010
Workshop: “Aprender a pesquisar na net”

BE
(Jorge Carvalho)

Alunos do 1º ciclo (3º ano)

EB1 de Cabanas
25 a 29- 10 -2010
Atelier artístico: O Halloween

BE


Todos os alunos

BE do AVERT

25-10-2010
À conversa com…
Emília Lemos, De Pedra, só as Muralhas.

BE

Alunos do 8º ano

BE
do AVERT
25-10-2010
À descoberta de provérbios

BE

Todos os alunos

BE
do AVERT



BE do AVERT-  Outubro 2010

O Prazer da Leitura

A leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede.
Carlos Drummond de Andrade